Muitos fãs sempre desejaram ter o universo Final Fantasy à disposição, para decidirem qual o melhor herói e vilão da série. Em Dissidia têm a oportunidade perfeita para isso, neste jogo de acção e luta com elementos RPG, onde poderão medir as forças das vossas personagens favoritas.

Apesar da tardia data de lançamento da versão americana de Dissidia, a espera foi bem recompensada com uma edição especial de coleccionador. A SquareEnix já nos habituou com os mais variados RPG’s, nomeadamente da série Final Fantasy, e havia bastantes dúvidas se iriam conseguir criar um jogo de luta consistente com as personagens da série, e um exemplo menos conseguido do género é Ergheiz, para a PsOne.

Cosmos, a Deusa da Paz e Harmonia, e Chaos, Deus da Desordem e Destruição, entraram em conflito colocando o próprio destino do universo em perigo. Cosmos recorrendo às forças do bem dos heróis, e Chaos às forças do mal dos vilões, esperam sair vitoriosos desta batalha onde Chaos tem claramente a vantagem, depois de uma batalha inicial épica.

Para poderem salvar o planeta, cada herói terá que embarcar numa aventura para coleccionarem os cristais, com poder suficiente que dará aos heróis a vantagem nesta guerra. Heróis como por exemplo Cloud, Squall e Zidane além de lutarem pelos cristais, lutam também pelas suas razões pessoais. Dissidia não entra directamente na linha de tempo da série Final Fantasy, tendo já várias especulações de que os seus eventos ocorrem na mesma altura em que os heróis protagonizam as suas sagas.

Porém, a história é um pouco forçada e muitas vezes deparamo-nos com as personagens a terem os mesmos “problemas existenciais” e parecem ter a mesma história, quando poderia ter sido muito mais aprofundado e detalhado.

No entanto, é muito gratificante ver como as personagens se relacionam entre si, como por exemplo Cloud que é visto como um líder e um guerreiro destemido pelos restantes heróis, ou Tidus que é visto como um amigo em quem se pode confiar e divertido.

O sistema de batalha agrada e desagrada por diversas razões. Em Dissidia combatemos na terceira pessoa ao estilo acção, e conforme a nossa personagem podemos realizar os mais diversos tipos de ataques. Cada personagem tem o seu HP normal e Bravery, que é um factor bastante importante. Para realizarmos ataques poderosos que tirem dano, temos que optar apenas pelos ataques especiais, em que por exemplo Cloud e Squall fazem os seus limits e Cecil usa a sua habilidade de trocar de classe. Pode ser bastante fatigante e frustrante conseguirmos tirar uma boa quantidade de dano, pois em níveis de maior dificuldade o CPU é bastante habilidoso.

Para nos ajudar a usar os ataques especiais, temos o sistema de Bravery, em que fazemos ataques físicos para destruir a defesa do adversário e assim poder atacar com maior poder e precisão. Os comandos são bastante confusos ao ínicio, mas com treino o jogador consegue assimilar bem as combinações.

Tal como Crisis Core, a portátil da Sony volta a conseguir deslumbrar com um Final Fantasy, oferecendo gráficos fantásticos e personagens muito bem desenhadas. Os FMV mostram claramente uma qualidade superior em relação a outros jogos, pois é fantástico ver as batalhas épicas entre o bem e o mal bem detalhadas. Todas as personagens foram desenhadas com o maior rigor, nunca esquecendo nenhum pormenor quer na roupa, na face ou na figura em si. As apresentações dos menus estão também elas muito bem conseguidas, tendo o estilo típico de Final Fantasy.

A Square já nos habituou a uma banda sonora fantástica e neste jogo não é excepção. O som continua a ser um factor cada vez mais trabalhado, apresentando belas melodias e todas as músicas caracterizadoras dos heróis e vilões estão presentes nas batalhas, nunca perdendo a mística que caracteriza esta série. As vozes das personagens estão muito bem representadas, com excepção de algumas personagens como Zidane e Kuja, que têm uma voz talvez um pouco deslocada do que era imaginado.

Dissidia: Final Fantasy consegue surpreender em muitos aspectos, nunca desiludindo os verdadeiros fãs da série e das suas personagens favoritas. Se são fãs desta saga não podem perder este inovador jogo de luta da Square, e ficarem fascinados com a épica batalha do bem contra o mal.

Article date creation: 08/2009, MyGames
Anúncios