Durante o seu evento anual Global Editors Conference que teve lugar em São Francisco, a empresa Cisco deu a conhecer as suas principais tendências tecnológicas para 2015. Todas estas tendências foram analisadas pelo Cisco Technology Radar, um grupo constituído por mais de 80 técnicos especializados. Prevê-se que estas mudanças tenham um grande impacto na área da tecnologia, continuando a contribuir para a evolução significativa da mesma.Vejamos algumas das tendências:

Analítica em Tempo Real

Conjunto de tecnologias que processam dados em poucos segundos ou minutos. É utilizada em geração de relatórios, automação de processos ou inteligência e análise de negócio. Contribuição da Cisco: Visualização em tempo real com o software Prime Analytics.

Colaboração no navegador web

A WebRTC – última evolução do HTML5 – é um API livre que não requer a instalação de plugins no navegador web. A WebRTC permitirá a utilização de aplicações de voz, vídeo e dados de uma forma simples e rápida como abrir uma página web. Contribuição da Cisco: Standardização da WebRTC e desenvolvimento de código para Mozilla e Google.

Contexto Preditivo

O contexto da computação Context-Aware Computing permite às redes antecipar os dados que o utilizador necessita e a proporciona no local e momento apropriados. Contribuição da Cisco: A empresa está a ajudar as organizações a monitorizar dispositivos sem fios associados aos pontos de acesso WiFi, oferecendo melhores soluções em lojas, aeroportos e restaurantes.

Dynamic Spectrum Access (DSA)

Esta terminologia está associada à evolução das diferentes regulamentações que permitem ampliar o espectro de bandas, tais como GHz TVWS e 3.65-GHz, tornando assim espaço não-utilizado em acesso a redes sem fios. Contribuição da Cisco: Estandardização de tecnologias de partilha de espectro, baseadas na geolocalização e bases de dados. Isto permite aos dispositivos associarem a sua frequência às várias coberturas de rádio.

Fog Computing

O Fog Computing representa o extremo da Cloud Computing (a nuvem transforma-se em nevoeiro). Esta tecnologia oferece serviços de computação, armazenamento e comunicação entre os vários dispositivos ligados e os centros de dados. Contribuição da Cisco: Criação da plataforma Cisco IOx, que permite ligar e gerir aplicações de software directamente em routers, switches ou câmaras IP.

Mais segurança na Internet of Things

A IoT cresceu de uma forma tão rápida que já estão previstas para 2020 um total de 50.000 milhões de conexões. Logo, o número de ameaças e vulnerabilidades aumenta ao usar dispositivos (veículos, sensores ou equipamentos médicos) em ambientes desprotegidos. Contribuição da Cisco: Aumento da segurança na Cloud e no acesso geral à rede.

Simplificação da rede

A simplificação da rede deve ser feita constantemente e é essencial para oferecer uma melhor velocidade de Internet. Utilizando o SDN, Software Defined Networking, deve-se tornar a rede mais programável e priorizar as aplicações; e o Autonomous Networking para facilitar a autogestão dos dispositivos conectados. Contribuição da Cisco: Melhoramento e simplificação geral da rede.

Encriptar Tráfego de Rede

Actualmente, apenas 10% das 1.000 páginas web operam com os seus dados encriptados. Sendo isto uma grande vulnerabilidade, páginas como Facebook, Google e Twitter já encriptam as sessões iniciadas. A Internet Engineering Task Force (IETF) está a criar novos padrões, como o HTTP 2.0, com capacidade de encriptação por defeito. Contribuição da Cisco: Parceria com a IETF no desenvolvimento de soluções como a Elliptic Curve Cryptography, que oferece um elevado nível de encriptação e baixo consumo.

Género: Notícia
19/12/2014 - Blasting News
Anúncios