O termo Street Workout começou recentemente a fazer parte do vocabulário dos amantes de fitness em Portugal. É uma modalidade em crescimento a nível mundial e, no nosso país, já podemos assistir a uma evolução interessante desta modalidade que, tal como o nome indica, é essencialmente praticada ao ar livre e consiste na realização de exercícios apenas com o peso do próprio corpo, tais como flexões, elevações e agachamentos.

De uma forma simples, o Street Workout é praticado gratuitamente em parques específicos que atualmente já se podem encontrar um pouco por todo o lado. Nestes locais é comum ver pessoas das mais variadas faixas etárias a praticarem exercício físico para manterem a forma. E se está a pensar nas flexões como aquele exercício doloroso que o professor de Educação Física nos mandava fazer na escola, é esse mesmo. As flexões são uma das técnicas mais básicas do Street Workout, mas uma das mais completas. Outras técnicas básicas são as elevações, que são feitas numa barra específica, e os agachamentos simples sem peso. Estes exercícios trabalham vários músculos em simultâneo e trazem enormes vantagens para a saúde, como vamos ver mais à frente.

Como surgiu o Street Workout

O conceito de Street Workout é oriundo dos Estados Unidos e começou a causar impacto no ano de 2005. A atividade física com exercícios à base do próprio corpo já existe há centenas de anos, mas este conceito apenas começou a ser introduzido na comunidade por volta desta altura. Equipas de Nova Iorque hoje conhecidas como Bartendaz e Ruff Ryders conseguiram juntar uma comunidade enorme à volta deste desporto e transmitiram o nome e conceito de Street Workout um pouco por todo o mundo. Alguns dos atletas individuais mais conhecidos são Hannibal 4 King, Hit Richards, Adam Raw, Juice, entre outros, os quais podemos visualizar no documentário “Calisthenics in New York”, realizado em 2015 por Ugis Rozenbahs, atleta norte-americano. Este documentário é um dos trabalhos mais completos sobre Street Workout disponível na Internet. Em “Calisthenics in New York”, os atletas contam as suas histórias de como começaram a praticar a modalidade e o que significa para cada um deles. Por exemplo, Hassan Yasin, mais conhecido por Giant, é o fundador de uma das primeiras equipas da modalidade, os Bartendaz. No documentário, Yasin conta que “o Street Workout salvou muitas vidas e impediu que a maioria dos seus amigos se tornassem criminosos.” Além disso, o experiente atleta tem a preocupação de ensinar os mais novos: “temos um grupo muito sólido de atletas profissionais e depois temos os mais novos que vêm aprender connosco todos os dias. É uma autêntica comunidade.” Apenas com estas afirmações temos uma noção de como o Street Workout teve um impacto positivo em tantas pessoas e é essa razão que hoje em dia é reconhecido mundialmente. Tal como acontece com Yasin, Ugis e muitos outros, o surgimento da plataforma YouTube ofereceu a possibilidade de todos os praticantes e amantes da modalidade promoverem o seu próprio estilo e identidade.

No entanto, é importante tentar perceber que atualmente o Street Workout vai muito mais além destes exercícios simples. O termo em si engloba várias modalidades competitivas ou livres praticadas por atletas com diferentes capacidades, incluindo:

  • Calistenia ou Calisténicos: Realização de exercícios dinâmicos com o peso do próprio corpo, tais como flexões, elevações, abdominais no chão e na barra, vários tipos de agachamentos, entre outros. O termo Calistenia é geralmente associado ao Street Workout.
  • Ginástica: Modalidade competitiva que requer a prática de movimentos exigentes de força, flexibilidade e coordenação.
  • Gimbarr: Modalidade praticada na barra fixa associada à ginástica mas com movimentos ligeiramente distintos.

Ao longo do tempo, as comunidades introduziram e popularizaram as práticas não-competitivas como um meio para unir as pessoas em torno de um só desporto, como Street Workout, parkour, breakdance, bar tricking, entre outros. Daí o termo Street Workout em si ser associado aos grupos que simplesmente praticam exercícios calisténicos na rua. Já foram filmados dezenas de documentários, especialmente nos Estados Unidos da América, com as pessoas a treinarem juntas em qualquer altura do dia. Os parques nunca estão vazios e a motivação está sempre em alta.

 

Que exercícios podemos praticar?

 

Não é difícil elaborar um plano de treino para quem quer começar a praticar Street Workout. Para a parte superior do corpo tem exercícios como elevações (Pull-ups), flexões (Push-ups), fundos (Dips), Sit-ups, exercícios de abdominais na barra e todas as demais variações destes exercícios simples que trabalham os braços (bíceps e tríceps), peitorais, abdominais e oblíquos, ombros, entre outros músculos mais isolados, como o antebraço, os trapézios, dorsais, entre outros. Para a parte inferior, pode realizar agachamentos (Squats), Lunges, levantamento dos gémeros (Calf Raises), Sprints, entre outros exercícios e variações, que trabalham os músculos das pernas como os quadríceps, adutores, glúteos, coxa e gémeos.

Depois de dominados estes exercícios básicos e notar alguma evolução na força, o atleta pode começar a introduzir na sua rotina exercícios mais avançados, tais como Muscle-ups, Front Lever, Back Lever, Pistol Squats, Handstand Push-ups e a prática de outros movimentos que pretenda dominar. As possibilidades de treino que pode efetuar são enormes e ao longo do tempo, todo o seu esforço irá compensar com resultados a nível estético e de aumento de força.

Onde praticar Street Workout?

Já tem os exercícios, só falta um espaço para treinar. E se lhe disser que é possível treinar em qualquer lado? Anteriormente referimos que existem parques com equipamento especializado de Street Workout, mas infelizmente nem todas as pessoas têm acesso a este tipo de parques. Se o leitor é uma destas pessoas e quer já começar a treinar, porque não experimente alguns exercícios em casa ou numa zona descampada mais próxima? Com um simples banco de jardim ou uma barra de elevações caseira já é possível fazer um treino bastante completo.

Tal como todas as atividades físicas, o Street Workout tem as suas vantagens e desvantagens. Veja quais são e descubra se é a atividade mais indicada para si.

Vantagens

  • Desporto geralmente praticado ao ar livre, promovendo a atividade física saudável e natural;
  • Interação entre comunidades;
  • Totalmente gratuito e possibilidade de treinar em qualquer lugar e em qualquer altura;
  • Não requer qualquer tipo de equipamento, à exceção de uma barra ou uma plataforma fixa para alguns exercícios específicos;
  • Enorme quantidade de informação online sobre Street Workout e como praticar;
  • Com um plano de treino e alimentação adequada, os atletas ganham uma boa definição muscular e resistência;
  • O Street Workout pode ser usado como terapia ou reabilitação social.

Desvantagens

  • Cada comunidade tenta introduzir a sua própria definição de Street Workout, o que pode originar alguma confusão nos atletas iniciantes;
  • Depende de cada pessoa, mas os resultados podem demorar algum tempo a manifestarem-se;
  • Após alguma evolução, pode tornar-se complicado aumentar a carga utilizada nos treinos para maximizar os ganhos de massa muscular.

Em Portugal o crescimento da modalidade tem sido notório. Desde a criação de grupos oficiais como a SWA – Associação Portuguesa de Street Workout, Pull-up Portugal, Street Workout Portugal, entre outros, os praticantes têm surgido um pouco por todo o país, tal como a construção de parques especializados. Alguns dos atletas nacionais de maior renome da atualidade são o David Marques, Gonçalo Furtado e Stanislav Nosov, este último fundador da SWA e um dos principais impulsionadores da modalidade no nosso país. A SWA, inclusive, está encarregue de organizar o Campeonato Nacional de Street Workout, com a próxima edição a realizar-se em Olhão no dia 19 de Junho deste ano. Apesar de ser uma modalidade relativamente recente, os portugueses já se podem orgulhar de terem atletas representantes a nível internacional em provas realizadas pela federação mundial WSWCF – World Street Workout and Calisthenics Federation.

O surgimento da WSWCF é uma das histórias mais inspiradoras no mundo do desporto. O seu fundador, Maris Slezins, natural da Letónia, começou a praticar ginástica desde muito novo até chegar à alta competição da modalidade. Desde então, dedicou-se a promover a atividade física a nível nacional numa primeira fase, e com o aumento dos praticantes de ginástica, Maris conseguiu construir escolas dedicadas a desenvolver atletas e acabou por alargar o seu reportório para o Street Workout. Atualmente com 33 anos, é um empresário de sucesso e o presidente da WSWCF, organização que fundou em 2011 como forma de registar atletas e sub-organizações oficiais por todo o mundo, incluindo a nossa organização nacional SWA. Maris Slezins acredita que o Street Workout tem potencial para chegar muito mais longe. Segundo o próprio numa entrevista recente, “o Street Workout já não é uma criança, é um adolescente. Temos que lutar todos juntos para este desporto continuar a crescer.” Os eventos mundiais organizados por Slezins e pela WSWCF contam com um aumento impressionante de atletas todos os anos.

Se pretende começar a fazer exercício físico e não sabe como começar, tem no Street Workout uma oportunidade perfeita para atingir os seus objetivos. Seja para realizar um treino ao fim do dia depois do trabalho, treinar aos fins-de-semana com os amigos ou simplesmente ficar em forma para o verão, experimente praticar Street Workout durante algum tempo e veja se obtém os resultados pretendidos.

Anúncios